A Petrobrás América, buscando um espaço de equilíbrio nos Estados Unidos, está vendendo seus ativos. Desta vez, a venda veio com a formação de uma joint venture criada com a Murphy Exploration & Production Company – USA, subsidiária integral da Murphy Oil Corporation. Essa joint venture, já em contrato definitivo, é composta por ativos em produção de petróleo e gás natural no Golfo do México. A constituição da joint venture se dará através do aporte de todos os ativos em produção no Golfo do México de ambas as empresas, na qual a Murphy será a operadora com 80% de participação e a Petrobrás América terá 20%. A nova empresa terá uma produção média estimada de aproximadamente 75 mil barris de óleo equivalente por dia no quarto trimestre de 2018 e será composta pelos seguintes ativos:

Campos em águas profundas – Cascade, Chinook, St. Malo, Lucius e Hadrian North, Cottonwood, Hadrian South, Dalmatian, Front Runner, Clipper, Habanero, Kodiak, Medusa e Thunder Hawk. Campos em águas rasas – South Marsh Island 280, Garden Banks 200/201 e Tahoe.

A transação envolverá um valor total de até US$ 1,1 bilhão, a ser recebido pela Petrobrás América, sendo uma compensação de US$ 900 milhões à vista, correspondente à diferença de valor entre os ativos aportados por ambas as empresas no fechamento da operação, além de pagamentos contingentes de até US$ 150 milhões a serem efetuados até 2025 e um carrego de investimentos de até US$ 50 milhões de custos da unidade americana da Petrobrás no desenvolvimento da produção do campo de St. Malo, a ser assumido pela Murphy a partir de 2019, caso determinados projetos de recuperação de óleo sejam realizados.

A Murphy Oil Corporation é uma empresa global independente de exploração e produção de petróleo e gás natural, com produção offshore no sudeste da Ásia, Canadá e Golfo do México e produção onshore na América do Norte. A companhia detém uma participação de 20% em quatro blocos em águas profundas na bacia de Sergipe-Alagoas e junto com seus parceiros foi bem-sucedida na licitação dos blocos 430 e 573 na mesma bacia durante a 15ª Rodada da ANP.

A empresa informou que formação da joint venture representa um passo importante para a Petrobrás, no âmbito do seu Plano de Negócios e Gestão 2018-2022, permitindo, além da entrada de caixa, o compartilhamento de investimentos, resultando num portfólio final com melhor relação risco-retorno, por meio de um novo modelo de negócios nos EUA, com um parceiro que atua na região e é reconhecido pela sua expertise operacional e em segurança, disciplina de custos e qualificação técnica. A conclusão da transação está sujeita ao cumprimento de condições precedentes, tais como a obtenção das aprovações governamentais norte-americanas aplicáveis, com previsão de fechamento ainda neste ano.